18 de janeiro de 2011

Promessas .

Prometi pra mim mesma não mais me permitir pensar em você, prometi. Desfiz a promessa e nem me esquentei com isso, afinal, meus pensamentos se tornaram mais fortes que eu; posso ter ganho a batalha, mas a guerra eu perdi, e já não tenho vergonha de assumir. Me permito pensar em você pelo menos um pouco, mesmo que a cicatriz se rasgue e o torpor me deixe sem ar; mesmo que tudo se desfaça e os meus olhos em prantos comecem a sonhar. Me permito. 


Já não sou mais tão forte quanto antes - não me importo tanto com isso -, já não sou mais tão insensível. O muro que separava a vontade da saudade de você caiu e já não tenho mais forças pra reconstruir tudo. As lembranças até me acalentam, me ajudam a suportar o fato de ter perdido - se é que algum dia te tive - mas, o tempo que ficamos, que estivemos juntos, ah, esse tempo é o motivo dos meus suspiros que chegam do nada; esse tempo é que me faze sorrir e acreditar em uma nova estrada, com você. 
Meus olhos se desesperam a procura dos seus. Meus olhos dominam todo o meu ser, e isso é bom. Te olhar é bom, e me permito fazer isso. 
Em meu coração, um pulsar parece me sufocar, mas, eu gosto. Eu gosto da dor que causa, eu gosto de saber que você está aqui, que posso tocar você, que posso olhar você, mesmo sem te amar, mesmo sem te ter pra mim. Me permito apenas ser sua, mesmo que você não seja meu. Já não ligo se vai doer. Me tornei masoquista quando se trata de você. Gosto da dor que me causa, gosto da dor que me atinge, gosto da dor que me derruba. Se eu tiver que sentir dor pra te ver, sentirei em  todos os momentos, sem pestanejar.
Porque apesar de  tudo, eu te amo!

2 Comentários:

Sara disse...

O blog esta lindo, amiga!

deia.s disse...

Promessas quase sempre me fazem bem ..
- Gosto do seu jeito de expor sentimentos!
beijo =)

Postar um comentário