4 de março de 2011

Insegurança segura .

Envolva-me como se fôssemos um, como se nunca mais houvesse motivo para separação.
Envolva-me como a minha escrita, afagando-me com papéis que me tornam uma escritora tão fanática por amor.

Estranhe-me e não deixe que eu me jogue ou me perca.
Estranhe-me e não permita que eu tenha uma vida inacabada.
Não disfarce esse seu olhar, afinal, sei o que você quer.

Esse coração tão machucado ainda insiste em resistir, mas a razão diz apressadamente que é melhor parar aqui.
Já não faz sentido amar ou não amar; quero apenas me envolver.
Sentimentos logo chegarão, aí poderemos discutir o que acontecerá.

Somente neste momento, quero me perder um pouco, me deixar fazer, me deixar querer, sem motivo algum.
Agora, quero estar contigo, te chamar de amigo ou algo parecido com aquilo que você vai se tornar.

Não, não há razão para olhar pra trás.
Você também se machucou muito, mas não vou prometer cuidar de você.
Não, não tenha medo; vamos nos entregar e, neste quarto escuro, jamais saberão o que aconteceu.

Na minha insegurança, posso estar segura.
Em seus olhos castanhos, vejo toda a amargura.
Não tenha medo do que acontecerá, estamos sós!
Ninguém atrapalhará.
Vem sem medo, que eu te ensino como se envolver, 
Sem se machucar .

0 Comentários:

Postar um comentário