15 de junho de 2011

Utopia desconexa .

Sinto saudade de um tempo sem nexo,
saudade de um tempo inexistente,
saudade de um momento imaginado,
saudade de algo que não aconteceu.

Por falar em acontecer,
sinto saudade também do que estava,
sinto falta de algo que me interessava,
isso não existiu.

Já viveu uma mentira?
Então não sabe o que é viver,
vivo uma mentira durante anos,
e que mentira longa,
minha idade não permite mais contá-la,
mas minha dor me permite lembrar.

Sinto saudade de tudo:
da verdade que se escondeu,
do coração que não bateu,
de uma história que alguém contou,
de um ânimo que desanimou
e de tudo que jamais voltará.

2 Comentários:

deia.s disse...

Que jamais voltará e outrora jamais acontecera.
Comum sentirmos falta de tempos, em tempos.
Gosto do que você escreve, mesmo quando me dói um pouco ao te ler.

Grande Lua!

Gabriela F disse...

Muito intensa Lua, adoro isso em seus textos!

Postar um comentário