26 de outubro de 2011

Morfina .

Eu esperei você me acordar. Eu esperei, juro! Preparei o despertador, e fiquei inquieta pela sua chegada. Preparei meu coração, fiquei apreensiva, mas eu sabia que você viria me acordar, então aguardei. Confesso que não consegui adormecer, nem um pouco, mas pelo menos tentei. Percebi que as horas passaram e você não veio, então, voltei o relógio, e percebi que o dia ainda assim as horas passavam. Mudei o calendário, mas ele também fazia com que o dia amanhecesse. Fechei todas as cortinas, e deixei que o quarto escuro, me deitei novamente e me forcei a acreditar que o dia não tinha chegado, mas mesmo assim você não veio. Em lágrimas não ousei levantar da cama, eu não mais sentia o pulsar do meu coração, nem mesmo a minha respiração, eu estava totalmente asfixiada nas minhas amaldiçoadas lembranças inventadas. E tentava dormir, queria dormir, queria acordar, queria acordar dessa alucinação tão cruel, queria acordar desse devaneio maldito e fingir que não existiu, que tudo o que estava acontecendo era apenas um pesadelo, mas todas minhas tentativas foram vãs. Enfim me levanto, as horas haviam passado, e a realidade permanecia a mesma. Notei que você não viria mais, que você não iria me acordar no dia do meu aniversário. Eu percebi que você havia me eliminado do seu interior, que havia me deixado, me tirado, você havia me consumido. Eu decidi acabar com meu lado emocional, eu decidi acabar com essas mentiras que ainda me torturavam, e com morfina me despedi de todas as dores. Eu, finalmente, te matei dentro de mim.

2 Comentários:

. disse...

Tem que latejar, tem que doer, tem que sangrar... Com o tempo, cicatriz se torna.
Mana, você é mais forte do que imagina. Absorva e viva isso!

Te amo.

p.s.: gostei do texto.

Gabriela Freitas disse...

gosto dessa sua intensidade, consigo me sentir nas suas palavras, sempre forte demais, em tudo, demais.

Fiz uma página no blog, se puder comente o que acha dele. http://denovomaisumavez.blogspot.com/p/sobre-o-blog.html

Postar um comentário