29 de dezembro de 2011

The end.

Então minhas lágrimas escorrem do meu rosto,
E meu grito é silenciado, e a meus olhos escondem o medo.
Minha voz já não mais quer ressoar diante de tudo isso,
Essas dores que tomam conta de mim, e eu não posso desfazê-las.

E quando acordo, só imploro que o dia acabe,
Porque já não mais faz sentido estar acordada,
As coisas caminham pra um lado errado e eu não posso direcioná-las,
Peço socorro, mas ninguém me ouve, ninguém pode me socorrer.

Eu estou num abismo, mas ninguém consegue me ajudar,
Eu só preciso de uma mão, só de um olhar, eu preciso de ajuda.
Todas as lembranças me fazem perder a sanidade,
E perco o controle dos meus sentimentos, eu já não sei quem sou.

Socorro! – grito desesperada.
Em mim existem marcas de feridas que jamais cicatrizarão,
Alguém me ajude.
Eu não posso mais continuar sozinha.

0 Comentários:

Postar um comentário