9 de fevereiro de 2012

Conto de Fadas.

Hoje sinto que talvez nunca mais volte à realidade,
Dentro de todos os meus conflitos, da minha própria maldade,
Sinto que nada mudou em mim, e que esse conto de fadas me assusta.
Sendo feliz em torno de uma música, que meu coração inventou.

Acordo e sei que nada vai mudar,
Invento em mim uma verdade que irá se apagar,
E pressinto que nada irá mudar.
Diante do meu medo, apego-me a histórias que alguém contou.

Meu corpo pede uma anestesia de mentiras,
De fatos que eu mesma fiz uma alusão,
Fatos que meu coração implora pra que tenham acontecido,
Dentro do meu ser emudecido.

Eu cansei, não quero mais acordar desse momento tão mal contado,
Meu ser inebriado e bagunçado de uma ilusão somente minha,
Essa vontade de continuar com historinhas,
Onde a realidade me tirará a vida.

0 Comentários:

Postar um comentário