18 de junho de 2012

Em que máscara você deixou o seu rosto?

Em qual máscara você deixou o seu rosto? Procuro dentre seus livros e músicas tão ditos e cantados, mas sei que não vou encontrar. Procuro em seus sorrisos e falsas alegrias, que meu estômago embrulha ao lembrar. Procuro teu rosto nos momentos mais sensatos, mas parece que aqueles momentos não mais existem, a sensatez foge do teu ser, fazendo de mim uma parte do seu auditório. Decepcionando-me com as verdadeiras faces que você mostrou, e escondendo minha reação, mesmo que meu coração esteja fragilizado, pareço não acreditar que tudo o que você passou e me mostrou, suas falsas lições e a pura mentira, é isso que aprendi. Acordo em plena madrugada, fugindo dos meus sonhos, que com maldade farão com que você apareça, e sei que isto tornará todo o meu dia um pesadelo sem fim, onde a verdade se converte em um medo que arrepia a nuca, e faz minhas pernas tremerem tanto, que é como se eu pudesse cair a qualquer momento. Essa sensação de desmaio, eu ousaria experimentar, mas sei que nos meus momentos de lapso posso encontrar tua verdadeira face, e isso me dá muito medo. Em qual máscara você deixou o seu rosto? Pesquiso dentro de mim, mas não tenho coragem de aprofundar e matar essa curiosidade tão insana. Faço-me acreditar que sua face era feliz, a sua face ficou nos momentos que houveram sentimento, mas meu coração sabe que não existiu sentimento algum. Você fez da vida uma peça de teatro e nem na morte deixará de atuar. Onde está a sua verdadeira face? Pergunto-me com medo de um dia você responder.

0 Comentários:

Postar um comentário