9 de junho de 2012

O quarto .

E quando eu estava sem você, percebi que o teu corpo já não mais me pertencia, e que não haveria nenhuma lembrança sua naquele momento, você apareceu em minha cabeça e em todas as paredes daquele quarto. E como pensar que ali você acabaria com todos os meus falsos desejos por alguém que eu só usei? E como me mostrou a facilidade de uma saída, como qualquer fantasma inerte em mim. Entorpecida pelo desejo de ser você cortei qualquer erro que ali seria cometido, naquele quarto sombrio onde eu não enxergaria nada, além do meu coração desesperado atrás de você. E quando eu olhava dentro daqueles olhos, seu fantasma aparecia, e como se eu ouvisse dizer: "Você é minha." Como um passe de mágica, você estragou todo um momento com um sorriso, me dominando como sempre fez, e o quarto parecia frio, nesse momento percebi que não deveria permanecer ali, afinal, aquele a quem pertenço me chamava, dominando meu ser e fechando os meus sentidos, como se tudo estivesse errado, como se eu estivesse no corpo de outra pessoa, você me tirou dali, e assim, você se tornou minha fuga. Com seu sorriso me libertou dos braços de alguém que não passaria de um momento que entre um copo de uísque e outro eu esqueceria, com o seu sorriso, me fez fumar aquele velho cigarro e sair daquele ambiente que poderia ter uma minúscula possibilidade de me fazer esquecer você. Dentro de mim, e aos meus olhos, é interessante como continha encantador o seu mode de me sugar  completamente para você, fazendo-me fugir de qualquer momento que me afaste de você e de lembranças suas, me fazendo pertencer a você, cada dia mais... 

0 Comentários:

Postar um comentário