30 de julho de 2012

Mordidas na orelha .

E como não lembrar do seu jeito, se ao entrar no ônibus e me sentar num lugar próximo a janela, vem alguém que exala um cheiro igual ao teu, e sinto esse cheiro embalado na música de rock que toca nos fones do ouvido, que faz meu coração entrar em colapso, sem saber se dispara ou se aquieta essa saudade que vai me levar ao velho uísque com chocolate, me causando uma dor maior do que pensei. E como não lembrar do jeito dele, se ainda sinto aquela barba mal feita roçando meu rosto, e as mordidas na orelha que me arrepiavam a espinha, causando aquela sensação única de que nunca deixaria você. E lembrar do seu jeito de encontrar meu nome nas coisas, e falar que adora como meu nome é bom de soletrar, e sorrir dizendo que só pelo meu nome você quis me conhecer. Como não sentir saudade daquele cheiro que me fazia fechar os olhos, e do abraço que me dava força, e daquele beijo que me deixa com água na boca ao lembrar. Eu não posso apagar aquele seu sorriso de lado, e os olhos castanhos claros, que olhavam pra o nada e dizia não saber no que estava pensando, mas me abraçar logo em seguida, como se estivesse fazendo juras de um amor que não seria eterno. Como não me apaixonar por alguém assim? Como não lembrar do homem que me fez voltar a sentir o pulsar do coração e as borboletas no estômago. Como não me apaixonar por você?

0 Comentários:

Postar um comentário