30 de dezembro de 2012

Em lembranças .

Em êxtase me encontro ao relembrar,
Aqueles olhos, aqueles abraços e uma noite sem luar,
Uma madrugada fria e um segredo que guardo,
Em meio as desavenças a desinibição do amargo.

Desinibindo os medos e obcecada pelo querer,
A menina em descoberta do que é saber,
Ao invés de fugir, buscou procurar por mais um pouco do segredo,
E sem medo ela pôde desvendar a si mesma.

Em um toque desconhecido e um medo que a avisa,
Em um sentimento que transborda e a força que a alisa,
Sem querer lutar por ela mesma, entrega os pontos,
E em contos revela o que não pode dizer.

Em segredo se esconde, atrás de um sorriso que se revela,
Uma lembrança tão boa, e uma saudade que a espera,
Em meio aquilo que guardou, e que relembra todas as noites,
Em lembranças permanece na ânsia de matar a vontade de reviver.

0 Comentários:

Postar um comentário