29 de janeiro de 2013

Choro e luto .

O telefone tocou três vezes,
Mas seu coração não pulsava mais,
Em seus olhos estavam o vazio e o seu silêncio se tornou ensurdecedor.

O telefone tocou três vezes,
E meu coração em prantos, meu corpo gritava,
Eu a buscava nas pessoas, mas só via lágrimas,
Sabia que não mais estava ali.

O telefone tocou três vezes,
E meu coração em desespero chama por ela,
E minha alma em pedaços, se desfazendo como vela,
Zela pelos que ela deixou aqui.

O telefone tocou três vezes,
E os olhos dos meus amados entes estavam perdidos,
E um vazio em mim se torna o que eu sou,
E eu já a sentia tão distante, mas posso encontrá-la em mim.

O telefone tocou três vezes,
e na terceira vez, já não se ouvia nenhuma voz.

Lenilda Tavares de Franca (in memorian) - "Vovó Leonilda"

0 Comentários:

Postar um comentário