1 de agosto de 2013

O mais inglório.

Eu e minha incompetência de desamar.
Sim, desamar.

Apegar-se totalmente a fé, até que a última gota seja espremida,
Ignorando a dor, e a tragédia de continuar com a vida,
Seguindo por caminhos obscuros e inconsequentes.
Eu estou inconsciente de mim mesma.

Os meus pés descalços, tremem ao tocar o chão,
Em lágrimas minha fé se encontra em pedaços,
E eu já não sei mais onde achar meu coração.
"Que diabos eu fiz pra me perder assim?!"

Existem lugares tão sombrios em mim,
Que me perco, ao me procurar.
Eu tenho mania de ser dependente sim,
Dependo da minha competência de super amar.

0 Comentários:

Postar um comentário